ARTE & ESTILO CARTÕES VIRTUAIS
    Log In   |   Membro   |   Registro   |   Ajuda   |   Recomende   |   Escreva-nos   

Benvindo Visitante - 20- 11-2019 Os Mais Enviados Os Mais Votados Visitante Visite nossa página no Facebook
Procurar


Calendário
Dezembro
08 Imaculada Conceição
25 Natal
Janeiro
01 Ano Novo
06 Reis Magos

Ajuda
No teu branco seio eu choro.
Minhas lágrimas descem pelo teu ventre
E se embebedam do perfume do teu sexo.
Mulher, que máquina és, que só me tens desesperado
Confuso, criança para te conter!
Oh, não feches os teus braços sobre a minha tristeza não!
Ah, não abandones a tua boca à minha inocência, não!
Homem sou belo
Macho sou forte, poeta sou altíssimo
E só a pureza me ama e ela é em mim uma cidade e tem mil e uma portas.
Ai! teus cabelos recendem à flor da murta
Melhor seria morrer ou ver-te morta
E nunca, nunca poder te tocar!
Mas, fauno, sinto o vento do mar roçar-me os braços
Anjo, sinto o calor do vento nas espumas
Passarinho, sinto o ninho nos teus pêlos...
Correi, correi, ó lágrimas saudosas
Afogai-me, tirai-me deste tempo
Levai-me para o campo das estrelas
Entregai-me depressa à lua cheia
Dai-me o poder vagaroso do soneto, dai-me a iluminação das odes, dai-me o [cântico dos cânticos
Que eu não posso mais, ai!
Que esta mulher me devora!
Que eu quero fugir, quero a minha mãezinha quero o colo de Nossa Senhora!


Vinicius de Moraes

 











Visitantes neste momento:  
© 2005 - 2007 ARTE & ESTILO CARTÕES VIRTUAIS